Statoil reforça posição na licença BM-S-8

12 de Julho de 2017 02:16 CEST | Last modified 12 de Julho de 2017 14:38 CEST

A Statoil ASA e a Queiroz Galvão Exploração e Produção (“QGEP”) assinaram hoje (11 de julho) um acordo para que a Statoil adquira os 10% de interesse da QGEP na licença BM-S-8 na Bacia de Santos. Os 10% adicionais aumentarão o percentual operado pela Statoil na licença de 66% para 76%. O valor total da transação é de USD 379 milhões. 

O BM-S-8 inclui uma parte substancial da descoberta de Carcará, composta por petróleo de alta qualidade e um API em torno de 30 graus e gás associado num reservatório com excelentes propriedades. A Statoil estima os volumes recuperáveis dentro da licença BM-S-8 de estarem entre 700 e 1.300 milhões de barris de óleo equivalente.

“Esta aquisição é mais uma prova de nossa confiança no Brasil, uma área chave para a Statoil. Ela também reforça nossa posição num ativo de primeira classe que tem grande compatibilidade com nossa competência e capacidade. A transação apoia a nossa estratégia de correr atrás de oportunidades de alto valor and baixo carbono”, diz Anders Opedal, presidente da Statoil no Brasil.

A transação é a segunda da Statoil na licença BM-S-8, depois do acordo de 2016 com a Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras (“Petrobras”) para adquirir 66% de sua participação como operadora e reforça a posição da Statoil para a operação da área unitizável de Carcará.

Assim como na transação de 2016, metade do valor total será pago no fechamento do negócio, com o restante sendo pago quando certas condições forem cumpridas. Estas estão parcialmente relacionadas com o contrato da licença, mas principalmente com a futura unitização de Carcará.

O negócio está sujeito a aprovações dos parceiros e do governo.

Os ativos da Statoil offshore no Brasil:

 

Localização

Participação

Status

Peregrino

Bacia de Campos

60% (operador)

Produção em junho de 2017 de 65.365 barris por dia.

Reservas entre 300-500 milhões de barris de óleo.

Peregrino Fase II

Bacia de Campos

60% (operador)

Construção.

Produção em 2020 de 60.000 barris por dia.

Reservas aproximadas de 255 milhões de barris de óleo.

Licença BM-C-33 (descobertas de Pão de Açúcar, Gávea e Seat)

Bacia de Campos

35% (operador)

Evaluation/development.

Approximately 1 billion boe in recoverable resources.

Licença BM-S-8 (descoberta de Carcará e prospectos de exploração)

Bacia de Campos

76% (operador)

Evaluation/development, pre-unitisation.

Approximately 700 to 1,300 million boe recoverable resources within the licence from Carcará, plus additional exploration upside.

 

Dez blocos exploratórios

Bacia do Espírito Santo

Seis operados pela Statoil, quarto pela Petrobras.

Exploração.